Google Ads, antes chamado de Adwords, é a ferramenta de anúncios do Google. Nela é possível criar campanhas e anúncios que aparecerão nas buscas e em outros sites, além de acompanhar as métricas e resultados.

Na plataforma é possível criar campanhas de mídia paga online, que será exibida nas pesquisas do Google, do YouTube ou em sites com Adsense, por exemplo, o serviço de publicidade do Google.

Dentro da plataforma do Google Ads existem duas formas de anunciar: 

1. Na rede de pesquisa, que são os anúncios que aparecem no topo da página de um resultado de busca (chamado de SERP) e, às vezes, mais abaixo.

2. Na rede de display, são os anúncios do Google exibidos em outros sites.

3. Vídeos no YouTube.

Como em qualquer campanha, seja de mídia paga ou de conteúdo, um dos primeiros passos é decidir o objetivo. 

→ Você sabe como pensar em campanhas de Google Marketing?

Pode ser receber mais ligações; atrair mais visitas à loja física; mais visualizações ao seu site; mais vendas no e-commerce.

Antes de partir para as dicas, vamos  entender a estrutura do Google Ads para configurar um anúncio.

Como funciona o Google Ads

A estrutura de criação no Google Ads funciona da seguinte maneira:


No nível da Campanha, deve-se configurar o orçamento, idioma e locais. No Grupo de Anúncios, os anúncios, palavras-chave, lances, lances por palavra-chave e url. 

Em cada Anúncio, deve entrar a mensagem, que deve ser pensada levando em conta sua exibição no mobile e ter um texto que não ultrapasse os limites de caracteres.

No Google Ads básico, existem três tipos de campanhas, como citamos acima. Na Rede de Pesquisa, que são os anúncios em texto exibidos nas páginas dos resultados de busca. 

Na Rede de Display, são os anúncios de imagem exibidos em sites ou aplicativos que usam a publicidade do Google. Existem ainda as Campanhas de Vídeo, com anúncios de seis a 15 segundos no YouTube.

Como destacamos, esses são os formatos básicos para quem quer começar a anunciar no Google Ads.

Formas de cobrança do Google Ads

A forma de cobrança mais comum é o PPC ou pagamento por clique. Significa o mesmo que CPC e é o custo por cada clique em um anúncio.

Outras formas de cobrança são o CPM, que é o custo por cada mil impressões do anúncio e só vale para a Rede de Display. 

Ainda existe o custo por engajamento, com pagamento por um engajamento predefinido, que pode ser assistir a um anúncio em vídeo.

O orçamento deve ser determinado na construção do anúncio e a cobrança será de acordo com a ação que foi predefinida. Os anúncios também podem ser interrompidos a qualquer momento.

É possível, por exemplo, estabelecer um limite de gasto por mês e o anúncio será exibido de acordo com o valor e será interrompido ao atingir o limite. Assim, você não pagará além do que determinou.

→ Você sabe como se comunicar com o consumidor?

Métricas no Google Ads

Assim como toda campanha, é importante acompanhar as métricas e os KPIs, que são os indicadores chave que mostrarão se houve sucesso ou não. 

Muito importante também é acompanhar essas métricas diariamente e não apenas ao final da campanha. Se esperar o período acabar para avaliar, você pode ter deixado passar algo que pode “derrubar” o resultado. 

Mas é também preciso esperar alguns dias até ver se o anúncio está indo bem ou não. A ferramenta precisa de um tempo de aprendizado, que não é em algumas horas ou um dia. 

Algumas das métricas do Google Ads e KPIs que você deve acompanhar e entender são:

  1. CPC médio: soma de todos os valores pagos por cliques e dividido pela quantidade de cliques.
  2. CPC efetivo: quanto realmente se paga pelo clique.
  3. CPC máximo (ou lance padrão): o valor máximo que se está disposto a pagar por um clique.
  4. Roas: retorno sobre o investimento gasto com publicidade. Diferente do ROI, que é o retorno sobre investimento total, que envolve outros custos da empresa.
  5. CPA: custo por aquisição de um cliente.
  6. CTR: é a taxa de cliques, calculada pelo número de cliques dividido pelo número de exibições.
  7. IQ: índice de qualidade, que leva em conta o CTR da palavra-chave, qualidade da página de destino do anúncio (do site) e a relevância com o anúncio.

→ Complicou? Saiba como aprender Google Ads na prática

Como usar Google Ads

Na construção de um grupo de anúncios e dos anúncios, um dos fatores mais importantes é a escolha correta das palavras-chave. 

Para ajudar nessa escolha, o Google Ads tem a ferramenta Planejador de palavras-chave, o Keyword Planner. Nela é possível ver o histórico de estatísticas dos termos e pesquisar quais usar em uma campanha e na construção do anúncio.

A escolha das palavras-chave funciona por correspondência, ou seja, você determina para quais termos seu anúncio deve aparecer. Mas não é tão simples assim. Entenda:

  • Correspondência ampla: é padrão para todas as palavras. Quando o anúncio aparece para qualquer termo parecido, o que inclui erros ortográficos, sinônimos, pesquisas relacionadas e outras variações.
  • Correspondência de frase: usa-se aspas e os anúncios aparecem para pesquisas que correspondam a uma frase exata, sem outras palavras no meio. Mas, pode haver outros termos antes ou depois da frase.
  • Correspondência exata: usa-se o termo entre colchetes para que o anúncio apareça exatamente para o termo com o mesmo significado.
  • Correspondência ampla modificada: usa-se o sinal de adição, e o anúncio será exibido para qualquer pesquisa com as palavras que incluem esse sinal de +.
  • Correspondência negativa: usa-se o sinal de – antes do termo, com o objetivo de excluir palavras para as quais o anúncio não deve aparecer.

Dicas rápidas para usar o Google Ads

1. Para evitar que um concorrente use sua marca no texto de um anúncio na rede de pesquisa, é preciso registrar a marca junto ao Google. E, para isso, a marca precisa estar registrada no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

2. Ao calcular o orçamento do mês, em vez de dividir o valor por 30 dias para obter o quanto pode gastar diariamente, divida por 30,4 dias.

3. A entrega de um anúncio pode ser padrão ou acelerada. Se a verba for baixa, colocar com a entrega acelerada pode tirar o anúncio do ar rapidamente. Também é possível determinar horários e dias para o anúncio não aparecer.

4. Usar palavras-chave com correspondência ampla corre-se o risco de ter o anúncio exibido em buscas não relacionadas.

5. As campanhas com um desempenho melhor devem ter uma página de destino com site otimizado para dispositivos móveis. Isso porque mais da metade das buscas feitas no Google são pelo celular e sites otimizados são exibidos em posições mais altas nos resultados de busca.

6. Ao criar um anúncio da rede de pesquisa, o título deve ter no máximo 30 caracteres e a descrição, no máximo 90. Não é permitido usar termos em caixa alta no título, assim como “clique aqui”.

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *