Analista de Performance: o dia a dia de um Mídia

Categorias Web Analytics

Quer começar sua carreira em mídia?

O Analista de Performance é o profissional responsável pela parte de mídia paga em uma agência ou empresa. A vaga também é conhecida como analista de mídia paga, mídia digital ou mídia online.

É diferente do analista de mídias sociais que trabalha com a criação de conteúdo e interação nas redes, enquanto o analista de mídia paga trabalha com a criação de anúncios e acompanhamento da performance dessas campanhas.

→ Você sabe o que precisa para ser um analista de mídia?

Em resumo, essa é uma área na Agência de Marketing Digital que irá lidar com todos, ou praticamente todos, os outros departamentos. 

Seja para ampliar o trabalho de um conteúdo criado em Inbound; para aumentar o alcance de um post em Social; para executar as estratégias propostas pelo Planejamento,

Falaremos em mais detalhes o dia a dia da carreira de mídia online a seguir.

O que faz um Analista de Mídia e Performance?

O Departamento de Mídia de Performance olha vários objetivos e é o mais mesclado entre todos em uma Agência de Marketing Digital. 

O foco do trabalho é a criação, execução e análise de anúncios nas mais diversas plataformas. Isso inclui:

  • Google Ads, seja na rede de pesquisa, na rede de display ou YouTube;
  • Social Ads, que são os anúncios em Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, entre outros;
  • Mídia Programática;
  • Native Ads;
  • E o que mais incluir de anúncios no meio digital.

Os objetivos de trabalho podem ser diversos. Pode ser uma campanha de Branding, em que é preciso alcançar o máximo de pessoas possível com o orçamento e aumentar o reconhecimento de marca.

Pode ainda ser uma campanha focada em aumento das vendas e ter o melhor ROI possível, também dentro da verba disponibilizada para esse fim.

Como falamos em orçamento e verba, vale destacar que esse é um departamento que trabalha sob pressão. Logo, é preciso saber lidar com isso no dia a dia.

De onde vem essa pressão? Do investimento. É uma área que lida diretamente com o dinheiro e precisa saber aplicá-lo corretamente, para trazer o melhor resultado possível.

É claro que testes fazem parte do trabalho dessa carreira, mas a área precisa estar sempre antenada às mudanças no algoritmo das plataformas e priorizar os resultados. 

Por isso o profissional precisa ter a visão analítica, para realizar os teste, identificar o que deu certo e trará uma performance melhor, e o que não deu certo e precisará mudar.

Como trabalhar no Departamento de Mídia Paga?

A dica é da Rayssa Ramos, que coordena a área de Mídia da Agência M2BR. Segundo ela, para quem está começando nessa carreira, é preciso ter vontade de aprender a visão de performance e analítica. 

O Assistente de Mídia precisa ter essa grande vontade de aprender, pois irá operar as plataformas de Ads no seu dia a dia.

O analista é um cargo um pouco menos operacional, já que começará a olhar também para a estratégia, ao contrário do assistente ou estagiário que está aprendendo. 

O Coordenador da área precisa, além de saber o operacional e estratégia, conseguir gerir pessoas. Precisa ter empatia porque está lidando com pessoas distintas. Ah, não é só isso:

“O gestor precisa também ter organização para controlar tudo ou não dará certo”, destaca Rayssa.

A gestora da área ressalta ainda que é muito importante essa vontade de querer aprender, porque de um dia para o outro você abre a plataforma e vê que tudo mudou, que o algoritmo foi atualizado. 

Além disso, cada vez mais os sistemas usam machine learning, que é substituir o humano pela inteligência de robô. 

Quanto ganha um Analista de Performance?

Segundo o site da Glassdoor (Love Mondays), o salário de um Analista de Performance, na média, é R$3.300, podendo ir até R$5.000.

Vale lembrar que o analista ainda é um cargo intermediário, em nível pleno. Existe o assistente, estagiário ou trainee, que são as carreiras em nível júnior, para iniciantes.

Para os mais experientes, as carreiras podem ser de coordenador e gerente, ou seja, são os cargos de gestão da área, que envolve muito mais que apenas o conhecimento técnico.

Como é a rotina do Departamento de Mídia?

Um grande desafio para uma agência é mostrar que aquela solicitação do cliente não trará o resultado que é esperado. 

Segundo a coordenadora de Mídia, não dá para simplesmente dizer que não é possível. É preciso provar isso com dados.

Quando o cliente não entende ou pede algo que não trará o resultado que ele espera, a melhor forma é dialogar para ele entender que não funcionará assim. Não pode ter “achismos”, é preciso comprovar com o resultado. 

Quando é uma campanha grande, que envolve muitos departamentos, o contato com o cliente pode ser via Departamento de Atendimento. 

Porém, quando é uma campanha específica de Mídia, a comunicação fica mais fácil quando é direta com o setor responsável.

A rotina do profissional também mudará um pouco de acordo com o modelo de trabalho. 

Pode ser um departamento dentro de uma agência que atende diversos clientes. O profissional de uma agência alocado na empresa do cliente (in-house). Ou pode ser ainda a equipe própria de uma empresa.

→ Contratar uma agência ou ter uma equipe interna?

Uma coisa é certa: não importa qual o modelo usado e o nível da carreira, todos os profissionais precisam manter uma rotina de estudo e aprendizado.

No dia a dia, por exemplo, será preciso testar campanhas no modo manual ou automático e ver qual terá um melhor desempenho. O mesmo vale para a escolha de palavras-chave ou definição de um criativo.

Rayssa Ramos explica que é preciso testar os modelos de campanha e ver qual dá o melhor resultado e tem o melhor custo. Além disso, você precisa saber até onde quer ir nesse investimento. 

Um destaque importante, segunda a coordenadora, é que precisa haver o teste, avaliar as hipóteses e gerar resultado. Do contrário, sempre haverá apenas muitos testes. E o resultado ficará como?

Resumo da carreira de Mídia de Performance

A equipe ideal é de pessoas que gostam do que fazem e querem crescer. A coordenadora explica que é um mercado livre e as pessoas são muito distintas.

Não precisa de uma formação específica, desde que você aprenda como funciona o operacional e vá evoluindo até saber também a estratégia e como fazer as análises certas, que geram resultados.

O dia a dia é sazonal. Pense em uma campanha de Black Friday, o quanto não é corrido. Agora, pense em um período de feriado prolongado, que não está ligado ao comércio, em que as vendas tendem a diminuir?

Tudo varia. Há dias mais pesados e outros mais tranquilos. Segundo Rayssa, se você programa de otimizar cinco campanhas em um dia, não poderá voltar nelas no dia seguinte, já que existe o tempo de aprendizado da ferramenta de esperar o resultado.

Mas, mesmo tranquilo ou agitado, é sempre uma rotina sob pressão porque está lidando com dinheiro. Por isso, o profissional precisa sempre estar analisando para tomar as decisões certas. 

“Eu sei que muita gente tem medo de errar porque está lidando com dinheiro. É preciso estudar, se dedicar e se desafiar. E quem não erra não aprende”, resume Rayssa Ramos.

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *