5 mentiras das redes sociais que te contam

É 1º de abril, mas acreditamos que algumas mentiras são contadas o ano inteiro. Por esse motivo, listamos  cinco pegadinhas que te contam sobre as redes sociais que você não deveria acreditar.

É o caso de “eu tenho um sobrinho que vive na internet e, por isso, pode cuidar da minha página no Facebook”. Trabalhar com mídias sociais não é algo para leigos. Pelo contrário, o cargo de social media tem uma série de requisitos importantes.

Para trabalhar com mídias sociais, em primeiro lugar, é preciso ter criatividade, estar ligado nas tendências, nos memes do momento (mesmo que não vá utilizar) e até no noticiário. Isso mesmo, tem que estar antenado ao que acontece ao seu redor.

Afinal,  não se pode fazer brincadeira ou tocar em assuntos sérios sem conhecimento de causa, principalmente se for algo precedido por uma tragédia. Um exemplo disso foi o Catraca Livre, quando, em 2016, após a tragédia com o time da Chapecoense, fez um post que acarretou na perda de mais de 400 mil seguidores apenas no Facebook. Aposto que, nem de longe, você gostaria de ver sua marca passando algo assim, certo?  

Outra tarefa que costuma fazer parte da rotina de um analista de redes sociais é o SAC 2.0. Nada mais é do que interagir e responder as perguntas que chegam por comentários ou mensagens privadas.  Este profissional costuma ser o responsável pelo primeiro contato com o público. Logo, muito cuidado com o que é postado a forma como se  responde os comentários e mensagens.

As mesmas mentiras muito além de 1º de abril.

Para que você não caia em nenhuma armadilha  de 1º de abril, confira quais são as pegadinhas sobre  redes sociais das quais você deve passar (bem!) longe.

Se você vai começar um negócio, presencial ou online, considere criar seu perfil em uma rede social.. Certamente, é bem mais rápido e simples de configurar do que a estrutura de uma página na web. Quer alguns bons motivos?

Segundo o ranking global do Alexa, o site de rede social mais acessado é o Facebook. Não à toa já possui mais de 2 bilhões de usuários ativos. Essa rede fica atrás apenas do Google e do YouTube, que lideram o ranking de sites mais acessados do mundo inteiro.

Mais abaixo aparecem Twitter, Instagram e LinkedIn em meio a outros domínios também muito acessados. Fato curioso é que no Brasil, diferentemente do ranking global, o Instagram vem antes do Twitter (olha a oportunidade de negócio aí!).

1 – “Deixa que eu tenho um sobrinho para fazer as postagens”

Como mostramos acima, o profissional da área é extremamente relevante  para um negócio e não pode ser feita por qualquer pessoa com um conhecimento apenas razoável. É preciso entender o público e saber como se comunicar naquela mídia específica.

As redes sociais são uma extensão da empresa e representam a imagem do negócio. É claro que cada rede tem a sua particularidade, seu público e mesmo a sua linguagem. Mas é preciso saber se comunicar adequadamente em cada uma delas.

Por isso,os perfis sociais da empresa também devem seguir o manual da marca e ter uma linha editorial. Assim como o tom da comunicação e o padrão de atendimento que será feito.

Um detalhe importantíssimo, que vale tanto para a rede social como para o planejamento de comunicação e marketing do negócio como um todo, é: seu público é formado por pessoas e não robôs.

Assim, quanto mais personalizada for essa comunicação – dentro do possível, claro -, melhor sua imagem como empresa perante o público.

Mesmo com um padrão é possível personalizar e comunicar-se de maneira mais humana. E nada melhor do que as redes sociais para isso.

2 – “Meu negócio não é digital, então não preciso estar nas redes sociais”

Essa é uma grande mentira  e você não deve cair nesse papo. Mesmo que seu negócio não seja digital ou um e-commerce, é importante ter presença nas redes sociais. As chances de seu público não estar lá são mínimas. Como assim?

O Facebook, por exemplo, atingiu a marca de 2 bilhões de usuários todo mês em junho de 2017. Para você ter uma ideia, a população de todo o planeta Terra é de pouco mais de 7 bilhões.

Ou seja, grande parte da população mundial tem uma conta ativa na rede social, fundada em 2004 por Mark Zuckerberg. Logo, dificilmente seu público não tem alguma presença lá.

Mas, falando em Mark Zuckerberg, sua outra rede social – a segunda mais acessada no Brasil – já ultrapassou a marca de 1 bilhão de usuários. Fundado em 2010, o Instagram ainda tem mais de 500 milhões de Stories ativos diariamente, funcionalidade que só foi criada em 2016.

É certo que a rede não para de crescer e está sempre ganhando novas funcionalidades. Principalmente para as opções de compra, cada vez mais fáceis de serem feitas por ali mesmo.

3 – “Saiu uma nova rede social e eu preciso criar um perfil lá”

Não, não é porque teve o lançamento de uma nova rede social que é preciso ter um perfil profissional nela. O em cada uma das redes sociais que existem. Lembre-se que seu público pode não estar em algumas.

É claro que as maiores você deve considerar melhor. Até porque com mais de 1 bilhão de pessoas ativas, certamente terá seu nicho por lá.

Mas você não precisa ter presença no Facebook, Twitter, Pinterest, YouTube, LinkedIn e outras, tudo ao mesmo tempo. Até porque o ideal é ter consistência e frequência nas postagens, o que pode ficar difícil de dar conta com tantos perfis para atualizar.

E se você está começando em Marketing Digital, ainda terá o tempo de adaptação ao estilo de cada uma dessas mídias. Em resumo, não, você não precisa criar um perfil em todas as mídias sociais apenas para “estar lá”.

4 – “O orgânico morreu”

O orgânico não morreu. Pelo menos não em sua totalidade. É certo que para um post ter um desempenho acima da média no Facebook, ou apenas ir muito bem, é preciso impulsionar.

A entrega do Facebook diminuiu bastante e a do Instagram também vem caindo. Isso para falar das principais mídias sociais. Mas é uma lenda acreditar que o orgânico morreu.

A entrega de conteúdo é importante. E Marketing de Conteúdo não se faz apenas com um blog. É um marketing composto por estratégias em diversos canais, incluindo os sociais. Neste guia prático falamos sobre como fazer Content Marketing.

Em outras palavras, quando alguém quiser conhecer seu negócio é provável que, além do Google, busque pela empresa nas mídias sociais.

Agora, pensa na imagem que seu negócio passaria por não ter conteúdo e o que mostrar? Por ter o perfil completamente desatualizado ou postagens sem qualidade e com erros nos textos de chamadas?

O público conhecerá mais da empresa através do conteúdo gerado nessas mídias. E muito do que você compartilhar é o que vai ajudar na decisão de compra ou não. Por isso, muito cuidado com o que você posta e não abandone o orgânico, porque haverá pessoas que acessarão os conteúdos!

5 – “Preciso ter milhões de fãs para ficar famoso”

Uma pegadinha que certamente pega muita gente. Inclusive recorre até mesmo a técnicas nada éticas: compra de seguidores. Para se ter uma ideia, o Instagram, por exemplo, começou a punir perfis que fizeram isso.

Por isso, é importante o crescimento ser orgânico. Lembre-se que o orgânico não morreu (confira no tópico acima ↑). Só invista em crescimento pago se for criando anúncios que rodem naquela mídia social.

O crescimento pago que você pode investir é justamente nesses anúncios para ampliar o alcance e o reconhecimento da marca. Sim, criar campanhas de Ads nessas mídias ou impulsionar posts irá aumentar a quantidade de pessoas que você atinge e, com isso, a página acabará conquistando novos seguidores ou fãs.

Existe um tipo de público que pode ser criado no Facebook Ads chamado lookalike (ou apenas Público Semelhante). Esses anúncios são criados para alcançar um público com mesmos interesses de quem já está na sua página, para citar um exemplo de anúncio que você poderia investir.

Assim, as chances de ganhar mais usuários acaba sendo grande. E com um crescimento foi natural, em que você apenas precisou investir em anúncios para aparecer mais para o público em potencial.

Como não cair em mais nenhuma pegadinha das mídias sociais?

A resposta a essa pergunta é simples: ficando ligado no que acontece nesse meio. São atualizações constantes, novidades e até mesmo novos canais que surgem. Em resumo, precisa estudar e colocar em prática a teoria.

Se você tem dúvidas se deveria ou não estar em algum desses canais, como deve ser a comunicação em cada rede, o planejamento que deve ser feito e até a criação de anúncios, tem um único lugar que você deveria estar: na Formação em Mídias Sociais da M2BR Academy.

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *