Marketing sensorial: como usar os sentidos para fidelizar clientes 

Categorias Marketing Digital

Cheiro de café pronto, Roberto Carlos tocando no rádio, o pano de prato com barra de crochê, a sensação de acariciar o seu cachorro ou gato. Alguma dessas situações é familiar para você? Todas elas têm a ver com os sentidos, fundamentais para a memória. Por isso, o marketing sensorial é uma excelente estratégia para marcas que desejam ficar gravadas na cabeça dos consumidores. Este é o tema do nosso artigo de hoje. 

De acordo com a psicóloga e especialista em gerontologia Débora Guizoli, a relação entre lembranças e os cinco sentidos acontece porque a memória precisa de recursos dos sentidos para ter mais elementos quando necessita lembrar no futuro de alguma informação. Portanto, a captação de imagens, sons, cheiros e movimentos auxiliam na recuperação das informações quando tentamos resgatar algo que aconteceu há muito tempo. 

Dessa forma, o marketing sensorial tem como objetivo estimular os cinco sentidos do corpo humano (tato; olfato; paladar; visão; e audição), causando bem-estar, familiaridade e desejo. Cada sentido contribui diferentemente para atrair o consumidor, de acordo com a identidade da marca. Portanto, esse marketing demanda criatividade e uma identidade de marca bem construída. 

Benefícios do marketing sensorial 

O marketing sensorial é uma forma orgânica de atrair e fidelizar clientes com espontaneidade, fortalecendo a sua marca por meio da autenticidade das memórias geradas através dos sentidos. As pessoas estão cansadas de propaganda e conteúdo em excesso, além de buscarem cada vez mais o que é verdadeiro e genuíno. 

Sendo assim, entre os benefícios desse tipo de marketing podemos destacar, além do que já foi citado, a criação de vínculos emocionais com o consumidor, tornando seu produto parte da rotina e história das famílias. Sem contar que trata-se de uma forma de explorar os produtos com criatividade, fugindo do óbvio e se diferenciando da concorrência. Por sua vez, esses fatores trazem vantagem competitiva. Além disso, o marketing sensorial estimula o desejo de compra, sem a necessidade de “empurrar” produtos para o cliente.

Aplicação do marketing sensorial 

Agora que você entendeu os principais pontos do marketing sensorial, é hora de visualizar, especificamente, como cada um dos cinco sentidos atua na estratégia.

Começamos falando sobre a importância dos sentidos para a memória. Então, vamos entender como isso ocorre, a partir do funcionamento de cada um dos sentidos. 

Olfato 

Um dos mais poderosos para construir memórias é o olfato. É bastante comum sentir um cheiro aleatório na rua e lembrar de algum momento ou pessoa, seja uma fragrância de perfume específica, um alimento ou até algum cheiro da natureza. 

Para as empresas que trabalham com alimentos, além do paladar, uma boa forma de explorar o marketing sensorial é no olfato, investindo em essências que tenham a ver com o produto oferecido. 

Para os outros setores, esse sentido pode ser bem explorado igualmente. Por exemplo, a marca de sandálias Melissa é tradicionalmente conhecida pelo cheiro semelhante ao chiclete, tanto nos produtos quanto nas lojas. Assim, ao passar por perto de qualquer filial da marca, imediatamente os consumidores sentem o cheiro e sabem que há uma unidade ali. Este é um exemplo de marketing sensorial pelo olfato muito bem feito. 

Para aplicar essas estratégias em sua empresa, primeiramente é necessário construir e fortalecer a identidade da marca, definindo qual imagem deseja passar para o mercado. A partir desse ponto, você pode selecionar um ou mais aromas que têm a ver com o negócio e aplicar tanto nos produtos quanto no ambiente. Por exemplo, se a sua empresa tem a ver com praia ou natureza, fragrâncias refrescantes ou de ervas têm tudo a ver. 

Paladar

Não é surpresa o quanto o paladar é explorado pelos setores de alimentos, especialmente por meio das receitas próprias que viram até franquias. Porém, outros nichos também podem e devem investir no marketing sensorial com o paladar, como por exemplo oferecer um bombom ou café específicos. 

Dessa forma, ir ao local se torna uma experiência agradável, ficando na memória dos clientes e fazendo com que eles voltem, caso precisem. A dica é usar a criatividade e tornar esse fator parte da identidade da marca. 

Visão

A visão é o principal sentido quando o assunto é construção e fortalecimento de marca. O primeiro passo na criação de uma marca é a identidade visual, quando são estabelecidos quais elementos e cores serão utilizados para representar tudo o que envolve a empresa. 

Dessa forma, sempre que o cliente ver cores, fontes ou formas, se lembrará de você. É o exemplo do McDonalds, que tem o vermelho e amarelo como principais cores, que até mesmo sem a associação ao logotipo ou ao nome da marca, identificam o negócio de longe. 

Porém, a visão enquanto aplicada ao marketing sensorial vai além da identidade. Nos supermercados, a disposição dos elementos e gôndolas são planejados para chamar a atenção para determinados produtos, aumentando as chances de vendas. 

Tato

Inicialmente, o tato pode parecer difícil de ser trabalhado no marketing sensorial, porém há maneiras simples de explorar esse sentido. Uma das formas é priorizando o conforto dos clientes nos atendimentos ou fazendo com que eles entrem em contato com os produtos. Por exemplo, sentir tecidos e texturas de diversos produtos, fazer um test-drive em veículos para saber como é a direção, etc. 

Audição

A audição, junto com o olfato, é uma ótima ferramenta de associação subjetiva. Lembra das tradicionais músicas de elevador? Ou de algum jingle famoso da década de 1990? Esses sons são para aguçar a memória do público-alvo. Até hoje esse sentido é muito bem aguçado. Um dos exemplos mais comuns e famosos é o “tum dum” da plataforma de streaming Netflix. 

Você pode trabalhar a audição de algumas formas. Começando pelo branding e publicidade, definindo um refrão ou que possa ser utilizado em jingles, independentemente da campanha. Outro ponto é a criação de playlists que tenham a ver com o seu público-alvo. Por exemplo, uma clínica psicológica começou a colocar playlists de lo-fi relaxantes e instrumentais na sala de espera. Além de tornar os clientes mais calmos com o tempo antes do atendimento, ainda provoca memórias sensoriais através do som. 

Vale lembrar que, em caso de playlists nos interiores da loja, o volume não pode ser demasiadamente alto para não perturbar os clientes e fazer com que eles queiram sair de lá correndo. 

Sua marca nas lembranças dos clientes 

Como você pode perceber, o marketing sensorial é uma forma de divulgar seus produtos e serviços com espontaneidade, atraindo e fidelizando clientes por meio da familiaridade gerada através da memória. Dessa forma, os cinco sentidos são os grandes aliados da recepção e manutenção desses estímulos sensoriais. 

Assim como um domingo em família na casa da sua avó, na sua infância, a marca ficará marcada para o seu público-alvo, caminhando a passos largos para a consolidação no seu nicho de mercado. 

Gostou deste artigo? Que tal compartilhá-lo com amigos? E se quiser ficar por dentro desse e de outros temas relacionados ao marketing? Acompanhe nossas redes sociais.

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.