Veja um passo a passo de como deixar seu vídeo otimizado para aparecer em qualquer pesquisa.

Se os crawlers do Google não entendem imagens e vídeos (ainda!), por que devo me preocupar em fazer SEO para YouTube?

Essa é uma pergunta fácil de ser respondida. Assim como devemos nos preocupar com os termos de pesquisa e palavras-chaves utilizadas nas buscas do Google, a mesma dinâmica deve ser aplicada na descrição dos seus vídeos no Youtube.

Já reparou que não importa a busca que você faça, é bem provável que exista um resultado em vídeo para ela? Isso se deve, ao fato de que o Google também rastreia esse texto quando procura os melhores resultados para sua pesquisa.

Além disso, ficar atento ao SEO na hora de fazer o upload no Youtube, também garante que seu vídeo vá aparecer nas pesquisas feitas dentro da plataforma.

Bem, acho que respondemos a sua pergunta do porquê você deveria investir no SEO dos seus vídeos do YouTube, certo?

Agora, se você nem investe ainda em vídeos na sua estratégia de Marketing Digital ou Marketing de Conteúdo, pare agora mesmo para reconsiderar.

Isso porque o YouTube é o segundo site mais acessado do mundo e o segundo maior buscador do mundo também, perdendo apenas para o Google nos dois casos.

Se você quer saber melhor como pode utilizar o site em sua estratégia, temos um artigo sobre Marketing no YouTube para você entender melhor.

Por que me preocupar com SEO para vídeos?

Antes de se perguntar isso, você deveria avaliar como está a sua estratégia de vídeos, principalmente no YouTube.

Segundo dados da plataforma, são mais de 1,9 bilhão de usuários logados acessando todo mês o conteúdo da plataforma, e mais de 1 bilhão de horas assistidas todos os dias.

Desses acessos, mais de 70% vem dos dispositivos móveis (guarde esse dado que será importante na hora de pensar o SEO do seu vídeo).

Segundo a pesquisa The State of Video Marketing 2019, do Wyzowl, enquanto em 2017 apenas 63% dos negócios usavam vídeo em seu Marketing, em 2019 esse percentual cresceu para 87%, e 91% considera uma importante estratégia.

Falando em negócios, 83% dos entrevistados revelaram que vídeo garante um bom ROI e, embora a concorrência tenha aumentado, 88% disse que investirá ainda mais esse ano nessa estratégia.

Por esses e outros motivos que você não deve ignorar o SEO para YouTube. Afinal, quanto mais tráfego seus vídeos tiverem, melhor. A comparação pode ser a mesma com a de um blog post.

A diferença ainda é que usar o YouTube é ainda mais fácil. Você grava o conteúdo e posta. Simples assim.

Não precisa configurar uma página em html, ter um domínio e montar toda uma estrutura para começar a postar. Essa estrutura já está pronta.

E você ainda pode deixar ativada a monetização do seu vídeo e ganhar por view. Para fazer isso em um site demanda mais trabalho e ajuda de áreas especializadas, como o Desenvolvimento.

Como posso fazer SEO para YouTube?

Vamos ao que interessa: o que você precisa para fazer SEO para YouTube?

1 – Nome do Arquivo

O SEO já deve começar desde o cadastro do seu vídeo na plataforma. O upload do arquivo deve estar com um nome amigável e otimizado e não DSC000 etc. A regra é a mesma de como você deveria fazer o upload de imagens em um blog post.

Como citamos lá no início desse artigo, um crawler ainda não identifica o conteúdo falado em um vídeo, assim como o visual de uma imagem.

Mas o nome do arquivo é um dos locais “rastreáveis” e por isso deve ser nomeado corretamente, de acordo com a palavra-chave.

Hora da ação: utilize uma palavra-chave relacionada como nome do arquivo e só faça upload depois de estar nomeado corretamente.

2 – Miniatura do vídeo

Quando você faz uma busca direto no YouTube, ou mesmo no Google, e aparecem vários vídeos como resultado, o que chama mais atenção: os títulos ou as imagens na “capa” de cada vídeo?

Essas imagens são chamadas de thumbnails ou miniaturas  e, embora não dizem respeito ao SEO diretamente, vão ajudar indiretamente. Como?

Quanto mais criativas e interessantes, mais cliques e tráfego seu vídeo terá. E quanto mais tráfego natural, o algoritmo entenderá que aquele conteúdo é relevante e exibirá mais seu vídeo.

Segundo o YouTube, 90% dos vídeos com melhor performance têm uma miniatura personalizada.

Portanto, investir em uma boa thumb é um fator que contribuirá para o tráfego, a entrega do vídeo e o rankeamento em um resultado de busca.

Hora da ação: crie uma imagem personalizada para cada vídeo, que chame atenção, tenha até 2 MB e 1.280 x 720 pixels (proporção de 16:9).

3 – Título do vídeo

Assim como na criação de um blog post, o título de um vídeo deve estar otimizado para SEO com a palavra-chave.

Para encontrar o melhor termo, a busca pode ser semelhante a de uma palavra-chave para texto (nesse artigo damos algumas dicas para você completar essa missão).

Mas, em resumo, para encontrar a palavra-chave principal e as secundárias que serão usadas no seu vídeo, você pode usar o próprio autocomplete do YouTube.

Ou ainda uma das seguintes ferramentas gratuitas: Keywordtool.io e Soovle. Essas duas possuem opções de busca de termos específicos para o YouTube.

Hora da ação: o título deve chamar atenção, ter até 60 caracteres e a informação principal, como a palavra-chave, nos primeiros termos. Verifique depois como ficou no ar, para saber se ficou cortado e se será preciso editar.

4 – Descrição

Aqui é onde você continua a usar as palavras-chave buscadas, tanto a principal quanto as secundárias.

Lembra que falamos para lembrar do fato de que mais de 70% dos acessos ao YouTube é via mobile? O seu texto da descrição, também como de um blog post, deve levar em conta isso.

Em resumo, frases claras, parágrafos bem curtos e estrutura em tópicos facilitam a leitura a partir da telinha de um celular.

Quanto eu devo escrever? Antes de responder essa pergunta, você deve entender que as descrições vão ajudar seu vídeo a ser encontrado na busca e vai ajudar um usuário a decidir se clica ou não no vídeo.

A primeira e a segunda linha da descrição são as mais importantes. São elas que aparecem nos resultados de busca, logo abaixo do título, e são elas que aparecem abaixo do vídeo, antes de clicar no “Mostrar Mais”.

O restante da descrição deve ter mais informações do conteúdo do vídeo e ainda é possível incluir links, seja das suas redes sociais, da playlist que o seu vídeo está relacionado e até do seu site.

Você pode ainda incluir marcações de tempo. Separe o conteúdo do vídeo em subtópicos, liste os subtópicos ali e, ao lado de cada um, coloque o tempo em que ele começa, usando dois pontos. Por exemplo: Como pesquisar palavras-chave – 2:32

Ao clicar no tempo, o usuário será direcionado, automaticamente, àquele momento específico do vídeo.

Hora da ação: ao criar a Descrição, use as palavras-chave, descreva o vídeo e capriche nas duas primeiras linhas, e inclua mais informações do conteúdo e do seu negócio ou site mais abaixo.

5 – Tags em vídeos

As tags são muito importantes também para dizer ao YouTube sobre o que é seu vídeo e em quais resultados de busca ele deveria aparecer.

Portanto, você pode usar palavras relacionadas e termos completos, as palavras cauda longa, como tags do vídeo.

Hora da ação: escolha termos que outros usuários colocariam em uma busca para encontrar um conteúdo como o seu.

6 – Hashtags

É outro recurso que pode entrar na Descrição e ajudar seu conteúdo a ser encontrado.

Ao inserir uma hashtag, uma vez o vídeo publicado, ela vira um link que leva a um resultado de busca contendo todos os conteúdos com aquele termo. Assim como em uma rede social.

Você pode usar algumas hashtags em seus vídeos. Alguns cuidados: não exagere, a inclusão deve ser natural. O YouTube ignora todas as hashtags se houver mais de 15 em uma conteúdo.

Hora da ação: inclua apenas algumas e aquelas que sejam muito relevantes.

7 – Playlists

Essa dica, na verdade, está mais relacionada à criação e organização do seu conteúdo no canal.

Você pode pesquisar termos macro que geram muitas buscas do seu nicho e criar uma playlist para cada um desses termos, com vídeos explicando cada subtópico destes.

Ajuda a dar mais visibilidade ao canal e o conteúdo gerado é de acordo com o que os usuários do seu nicho buscam.

8 – Tela final no YouTube

A tela final é um recurso para ajudar a dar mais visibilidade ao canal e aumentar o tempo de visualização que alguém passar no canal. Essa, inclusive, é uma métrica importante, assim como o tempo de página em um site.

As telas finais devem ser incluídas nos últimos 5 a 20 segundos do vídeo. Cuidado para não adicionar muitas opções e deixar o usuário perdido, fazendo com ele saia do vídeo em vez de continuar no canal.

Nesses segundos finais, o ideal é optar por entregar um vídeo que seja sequência ou que seja relacionado ao conteúdo que acabou de ser exibido.

9 – Cartões no YouTube

Os cartões são as notificações que aparecem no canto superior direito do vídeo. E, ao clicar, uma aba é aberta com o conteúdo linkado ali.

Esse conteúdo pode ser do seu site (que precisará ter o domínio configurado no seu canal), pode ser um vídeo, uma enquete ou uma playlist completa.

Só tome cuidado de não colocar essa opção logo no início do vídeo, já que ao clicar, o usuário sairá do vídeo.

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *