Geração Z: como conversar com esse público?

Categorias Marketing de Conteúdo, Marketing Digital, Mídias Sociais

Você também se preocupa em como conversar com a geração Z? É muito provável que a resposta seja sim, e você certamente não está sozinho nesta jornada. Muitas marcas, dos mais variados setores, procuram formas de conversar com esta geração tão difícil de entender. 

Já discutimos bastante aqui no blog, como o comportamento do consumidor é a base para o marketing. Porém, como uma parte da população que praticamente já nasceu em um mundo digital, a geração Z tem um comportamento bem diferente das outras. 

Portanto, este post vai discutir um pouco sobre esta nova geração. Entenda como conversar com a geração Z e como fazer seu conteúdo se destacar para um público que não se apega às marcas. 

Quem é a geração Z?

Atualmente, a geração Z é aquela que tem entre 18 e 24 anos, sendo a sucessora dos millennials. Ou seja, são pessoas que nasceram entre os meados dos anos 90 e o fim dos anos 2000. Com esta idade, é uma população que começa a trabalhar e se tornar independente. Normalmente, esta faixa de 18 a 24 anos é a mais importante de olhar para quem quer conhecer as tendências do futuro. 

Isso porque, com esta idade, as pessoas começam a ter dinheiro, se tornar independentes, mas ainda sem as “obrigações” de cuidar de uma família. Ou seja, podem e querem gastar dinheiro consigo mesmos. Conforme eles ficam mais velhos, e mais empoderados, acabam se tornando a base dos próximos consumidores. 

O Google produziu um excelente estudo sobre a geração Z e suas principais características . Vamos entender algumas delas e como isso impacta sua produção de conteúdo. 

O distanciamento das marcas

Uma das principais características observadas pela pesquisa é um certo distanciamento das marcas. Certos entrevistados mostraram não ter nenhuma marca preferida, mesmo após comprar produtos de algumas das maiores marcas do mercado. É um público que se preocupa muito com autenticidade, deixando claro que curte um vídeo de uma empresa quando ele é autêntico. 

A busca por uma causa

Por outro lado, a geração Z segue a linha dos millennials por buscar uma causa. Este é um ponto de contestação bem forte neste público, que demonstra preocupações com o meio ambiente, com feminismo, racismo, diversidade e diversos outros temas de importância coletiva. 

Para complementar esta preocupação com o todo, existe a preocupação com o pessoal. A busca por dietas saudáveis e para emagrecer ainda estão no topo das preocupações desta parcela da população, por exemplo. 

Os 3 F’s

Além destes dois temas, e em combinação com eles, existem 3 grandes “F’s” que estão na cabeça da geração Z: Future, Family and Fun. Ou seja, Futuro, Família e Diversão. 

Em relação ao futuro, a geração Z tem uma grande insegurança. As mudanças climáticas, crises econômicas e agora o coronavírus, fazem com que esta parcela da população tenha uma enorme preocupação, muito justa, em relação ao seu futuro. Por isso, alguns dos maiores medos são não ter uma carreira, não ter propósito ou a solidão. 

Uma resposta para isso é o empreendedorismo. Ou seja, a geração Z procura como empreender e como ser um profissional autônomo em um volume maior que as gerações anteriores. 

Dados do YouTube também mostram a preocupação desta população com a família. Afinal, existe um grande volume de buscas sobre dicas de como lidar melhor com este assunto bem delicado. 

Por fim, existe a questão da diversão. Neste ponto, são 3 temas cruciais que esta geração adota: games, smartphones e música. Dentre os 3, os smartphones têm um papel interessante de agir como um meio e um fim. Ou seja, é ele que permite que esta população se conecte com o mundo e faça todas as outras ações. 

Como criar conteúdo para a geração Z? 

Agora que você conhece um pouco mais quem é a geração Z, é um pouco mais fácil entender como criar conteúdo para esta geração. Quer dizer, “fácil” certamente não é. Como vimos, é um público que tem certas características bem específicas. Como você conecta a sua marca com um público que não se conecta com marcas? Existem algumas formas de fazer isso. 

Primeiramente, entendendo o conceito do ecossistema. Imagine que uma artista lança um novo clipe de música. Ao redor dele, existem diversos conteúdos que compõem um ecossistema bem rico. As reações ao clipe, comentários sobre o figurino, coreografia, impactos sociais da música e muito mais. Ou seja, um conteúdo tem diversos desdobramentos ao seu redor, garantindo que a conversa continua. É crucial entender este conceito, de modo a poder conversar com esta parcela do público, aproveitando os ganchos em que sua empresa se encaixa.  

Características de um conteúdo para a geração Z

Portanto, além deste conceito, existem algumas características que um conteúdo precisa ter de modo a conversar bem com a geração Z. Primeiro, ele precisa ser acessível e direto. É uma geração que já nasceu conectada, e que está acostumada com as informações entregues muito rapidamente. 

Outra característica desta geração, como vimos acima, é o seu interesse em algo genuíno e a busca por uma causa. Por isso, algumas empresas acabam se destacando. As marcas cada vez mais estão “saindo do muro” e assumindo um posicionamento, muitas vezes até político. Certas empresas já tem no seu DNA uma certa ideologia, o que faz muito sucesso com a nova geração. 

Isso coloca as marcas em uma posição bem delicada. É preciso ser bem genuíno no seu conteúdo. Não é necessário sempre ter uma posição política ou ideológica tão clara, mas é importante que a empresa mostre sua personalidade. 

Isso parece ser desafiador e complexo, mas talvez a geração Z seja a mais simples. Afinal, ela espera honestidade, transparência e autenticidade na comunicação. 

Vamos dar um exemplo de uma empresa que soube conversar com a geração Z desde o seu nascimento. A Warby Parker é uma empresa que vende óculos. Seu maior diferencial é a ideia “buy a pair, give a pair”. Ou seja, toda vez que você compra um par, você doa um par para uma pessoa que precisa de óculos, de algum lugar do mundo. Como o modelo é todo online, a empresa consegue equilibrar estes custos e não cobrar tanto pelos produtos finais. 

É um exemplo de uma loja com enorme apelo para a geração Z. Ou seja, o público prefere gastar um pouco mais do que comprar um óculos único, e sem ser de uma marca tão reconhecida e “chique”. A própria história autêntica e com um propósito é o que mais chama atenção do público. 

Agora que você já conhece um pouco mais a geração Z, é hora de começar a pensar como conversar com ela. Como sua empresa pode se adaptar as características acima? Se quiser conhecer mais sobre como conversar com esta, e diversas outras parcelas do público, confira outros artigos do blog da M2BR para ficar por dentro de todas as novidades! 

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *