equipes_de_marketing_

Um grande desafio para muitas empresas com mais tempo de mercado, e talvez até algumas mais novas, é: manter a equipe mais experiente no time ou ter jovens profissionais? As equipes de Marketing costumam ter uma mescla de especialistas, mas fica a dúvida para os gestores se misturar ou não gerações.

As vantagens de ter alguém mais experiente é que esse profissional já vivenciou muita coisa. E sabemos o quanto experiência vale no mercado de Comunicação, mais do que saber apenas a teoria.

O profissional experiente já passou por diversos cases reais, sabe contornar situações de crise e, se estão na mesma empresa ou ramo há anos, dominam o mercado de olhos fechados. A grande vantagem é que eles já conhecem a persona, sabem suas dores e têm muito o que compartilhar com os recém-chegados.

Por outro lado, o profissional mais jovem estará por dentro das novas tecnologias e novas práticas de mercado. As ferramentas mais usadas hoje – como de Analytics, Ads, Automação, entre outras -, são novas ou passaram por mudanças muito recentes.

O jovem fala a linguagem do Marketing Digital atual, está no sangue. Porém, ainda é inexperiente e pode conhecer pouco do mercado de atuação da empresa. Enquanto alguém mais velho domina o mercado, mas pouco sabe ainda das novas práticas.

Olhando por esse lado, parece óbvio que mesclar profissionais experientes e jovens é a receita para o sucesso e resolve umas das questões para formação de equipes. Calma, não estamos propondo aqui uma fórmula mágica para o seu negócio.

Pelo contrário, nossa proposta é mostrar vantagens, reflexões e algumas práticas reais para você, como gestor de Marketing, avaliar o que é melhor para a sua realidade. E conseguir passar por mais esse desafio.

Pronto? Não tire os olhos até a última linha, valerá a pena! E você pode nos contar também o que achou ao final. Combinado?

Vantagens de profissionais mais velhos na equipe

profissionais_mais_velhos

Uma pesquisa da PwC, realizada em parceria com a EAESP-FGV em 2013, aponta que os profissionais mais velhos não eram vistos como alternativa à escassez de talentos qualificados. Além disso, há pouco investimento na transferência de conhecimento e experiência dos mais velhos, seu principal ativo.

Outro ponto em destaque é que profissionais mais velhos podem custar mais caro, porém as empresas não avaliam o valor agregado que estes geram para a organização. Com isso, as cinco principais vantagens de ter alguém mais velho na equipe, segundo a pesquisa divulgada pela PwC, são:


1ª. Experiência profissional em relação ao conhecimento adquirido;
2ª. Comprometimento e senso de responsabilidade;
3ª.  Diversidade de ideias e pontos de vista na equipe;
4ª. Disseminar a cultura organizacional entre os mais novos;
5ª. Disseminar comportamentos esperados pela empresa;


Diante destas vantagens, o estudo mostrou que 60% dos entrevistados não envolvia os profissionais mais antigos na integração dos mais jovens e 83% não possuíam práticas recorrentes de integração.

As dificuldades apontadas por empresas, é que profissionais mais experientes têm menos flexibilidade e adaptabilidade às mudanças organizacionais; às novas tecnologias; à atualização sobre as novas práticas; e reconhecimento da liderança, quando é feita por alguém menos experiente.

Mesmo custando mais, profissionais mais velhos agregam muito. As vantagens são maior fidelidade à empresa, já que o turnover é menor; o grande conhecimento que possuem; e o relacionamento com os clientes, por exemplo.

Competências e habilidades do profissional de marketing

competencias_e_habilidades_do_profissional_de_marketing

Não importa ser mais ou menos experiente. Entre as competências e habilidades do profissional de Marketing Digital, há uma que mais se destaca: ser data driven, ou seja, direcionado pelos dados.

Não precisa ter todas as habilidades de um analista de métricas e dados, mas deve saber “ler” essas informações. Mesmo que a agência que preste serviço para sua organização ou mesmo se você é uma agência, precisa entender o que as métricas estão “dizendo”.

Inúmeras pesquisas sobre a força de trabalho do futuro apontam que uma das principais exigências será o profissional ser data driven. Falamos que não existe fórmula mágica de sucesso para o seu negócio, mas existe para a sua equipe de Marketing: ser direcionado por dados.

Entre as principais habilidades e competências do profissional de marketing, algumas são:

Profissionais mais completos ainda entendem de:

  • Inbound;
  • Storytelling;
  • Copywriting;
  • Trabalham em grupo;
  • Resolvem problemas;
  • Sabem enxergar boas oportunidades no mercado;
  • Possuem boa comunicação;
  • São flexíveis e abertos a aprender com qualquer pessoa o que é Marketing Digital;
  • Acompanham as mudanças no mercado;
  • Adaptam-se facilmente às mudanças do mercado e organizacionais;
  • Conseguem se adequar à cultura organizacional.

Aqui misturamos hard skills com soft skills, ou seja, as características que são aprendidas na formação e são mais técnicas (hard) com as características pessoais e comportamentais (soft).

Diplomas não são o principal no perfil do profissional

Muitas empresas, inclusive, possuem uma série de posições em que o diploma não é mais exigido. É o caso de gigantes que já adotaram essa prática, como Google, Apple e IBM. É algo como ‘não é o tempo que você frequentou as aulas ou um pedaço de papel que vai determinar as suas reais habilidades para a carreira’.

Em uma entrevista concedida ao New York Times, o então vice-presidente sênior de Operações de Pessoas no Google, Lazlo Bock, disse acreditar em várias formas de adquirir conhecimento. E que o número de funcionários do Google sem um diploma estava crescendo.

Mas não pense que não ter um diploma basta. Mesmo sem a formação clássica, para determinadas posições é preciso provar que você tem as habilidades necessárias, como entender de códigos e matemática, por exemplo.

“Quando você olha para pessoas que não vão à escola e fazem o seu caminho no mundo, elas são seres humanos excepcionais. E devemos fazer tudo o que pudermos para encontrar essas pessoas”, disse Lazlo Bock.

Outras empresas que aderiram à prática foram Ernst and Young, Penguin Random House,  Costco Wholesale, Whole Foods, Hilton, Publix, Starbucks, Nordstrom, Bank of America, entre outras.

Força de trabalho jovem e experiente

forca_de_trabalho

“Negócios inteligentes” é como define um estudo da AARP Public Policy Institute, “Disrupting Aging in the Workplace: Profiles in Intergenerational Diversity Leadership”, sobre as empresas que têm equipes com profissionais de diversas idades.

Uma das grandes vantagens de formar times com os dois perfis profissionais é o aumento da produtividade e da performance dos funcionários. A pesquisa aponta como empresas de diversas indústrias fizeram para ter equipes de diversas gerações.

Em resumo, ter em uma mesma equipe de Marketing, ou mesmo em outros setores da empresa, profissionais de diversas gerações pode beneficiar o negócio. Ainda que manter essa diversidade possa custar um pouco mais, o valor e retorno tendem a ser maiores.

Portanto, o Recursos Humanos deve buscar um processo de seleção que inclua mais idades. E, já existindo essa diversidade dentro da organização, investir em programas de mentoria e treinamento só trará benefícios. Assim:

  • Equipes mais velhas podem ajudar com mentoria dos mais jovens, ensinando o que sabem do mercado de atuação, cultura organizacional e o que a empresa espera do trabalho deles;
  • Profissionais mais experientes conhecem as transformações do público-alvo ao longo do tempo e entendem mais profundamente as dores e como se comporta esse consumidor;
  • Equipes integradas, com membros de diversas gerações, tendem a ter mais produtividade e também maior performance no trabalho;
  • Os mais jovens podem ajudar os demais com a tecnologia e as novas demandas do mercado que farão parte da força de trabalho do futuro;
  • Times com mais de uma geração podem funcionar melhor, já que os profissionais têm conhecimentos que se complementam.

Não importa a idade, o que vale é que o profissional esteja capacitado ou aberto à qualificação para assumir tal desafio. Em equipes de Marketing, especificamente, jovens profissionais precisam aprender mais soft skills que costumam vir com os anos de experiência. Exemplos são a solução de problemas, liderança, trabalho em equipe, entre outras.

Do outro lado, profissionais de Marketing experientes devem aprender melhor algumas hard skills que mudaram com o tempo, principalmente no que tange o digital. São as novas tecnologias,com algumas ferramentas de automação e outras que facilitam e tornam mais preciso o trabalho; análise de dados, já que os negócios não são mais baseados em “achismos”.

Se você já atua como gestor da empresa, investir em Marketing Digital é essencial. Mesmo que você seja um empreendedor, saber essas técnicas facilitará, e muito, seu trabalho.

Investir na formação de Google Marketing pode proporcionar o panorama necessário, com os conhecimentos que faltavam no seu perfil. O curso vai da Introdução ao Marketing Digital, passando pelo SEO na Prática, Google Ads, Analytics e relatórios, com tudo o que há de mais recente nas práticas de mercado.

E isso vale tanto para os mais experientes que desejam se requalificar em Marketing Digital, como para os recém-chegados no mercado, que precisam aprender na prática para terem sua primeira experiência.

 

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

2 ideias sobre “Equipes de Marketing de diversas gerações

  1. Ricardo,

    Adorei o seu texto. Há poucos dias, tinha escrito algo bem próximo no LinkedIn – não tão aprofundado, confesso.
    Acho que este mix interidades, fundamental. Eu mesma, uma profissional mais madura, sempre procurei estar atenta às mudanças e me capacitar para as mesmas.
    Tive , inclusive, experiências ótimas com profissionais mais jovens na M2Br. É uma troca permanente. Uns aprendendo com os outros.
    Só faltam as empresas se darem conta da importância dessa composição.

    1. Oi Vera, tudo bem?
      Acredito que o mercado vai achar este caminho, de compor equipes com diversos skills e graus de experiência, ao longo do tempo. Quem fizer antes sairá na frente, sem dúvida. Obrigado pelo seu retorno e por compartilhar sua experiência. Feliz 2019!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *