Como fazer Marketing de Conteúdo: 10 cases para se inspirar

Categorias Marketing de Conteúdo, Marketing Digital

Como fazer Marketing de Conteúdo é uma das maiores dúvidas de quem se aventura nesse segmento da Comunicação. É só Marketing Digital? Mas e a parte do Conteúdo?

Para quem ainda se sente confuso com essa estratégia, explicamos o conceito mais em detalhes aqui nesse post

Outra dúvida que precisa ser esclarecida é que Inbound Marketing também não é a mesma coisa que Marketing de Conteúdo. Também falamos melhor sobre Inbound nesse outro post.

Você precisa entender que criar conteúdo não é uma moda ou um estratégia que irá substituir as demais de Marketing Digital, como mídia de performance ou mídias sociais.

Todos essas táticas devem ser complementares. Os objetivos do conteúdo devem ser: mostrar como a marca é; criar relacionamento com o público; gerar engajamento; ser útil para o público e ajudá-lo com problemas; ser educativo e ensiná-lo sobre questões relacionadas ao mercado da marca.

Como fazer Marketing de Conteúdo

Faz parte do Planejamento da sua estratégia olhar o que outras empresas estão fazendo, como os concorrentes e companhias do mesmo segmento, e comparar à sua estratégia. Essa ação é chamada benchmarking

Para ajudar no seu processo com ideias para se inspirar, separamos 10 cases de Marketing de Conteúdo de diferentes segmentos. Confira todos a seguir:

1. John Deere – The Furrow

A revista The Furrow, uma publicação da empresa John Deere, é o primeiro caso de Marketing de Conteúdo registrado no mundo. A empresa John Deere comercializa desde 1837 produtos e equipamentos para fazendeiros.

A primeira edição da revista foi publicada em 1895, como “Um diário para o fazendeiro americano”, com conteúdos relacionados a esse universo. Pouco tempo depois, em 1912, a revista já tinha 4 milhões de leitores. Hoje, circula em 14 idiomas, em 115 países, e ainda possui o site.

2. Red Bull

Além de patrocinar diversos eventos e criar os seus próprios voltados para esportes, a marca investe em muito conteúdo em vídeo, com seu canal no YouTube, e texto. 

A criação de conteúdo é tão forte para a marca, que em abril de 2007 foi fundada a empresa de conteúdo da própria Red Bull, a Red Bull Media House. A primeira publicação foi uma revista, a Red Bull Bulletin, lançada no ano seguinte.

Além das revistas e dos eventos, a empresa de mídia lançou filmes e até gravações musicais em um estúdio com artistas licenciados. Desde 2018, o conteúdo criado pela marca já está presente em 178 países. 

Alguns exemplos são o Red Bull Radio, serviço de streaming musical com transmissão 24 horas; a premiada revista The Red Bulletin; Sounds of Red Bull, uma rede global de produtores e compositores.

3. GoPro

A GoPro não vende apenas câmeras e acessórios. Em seu canal no YouTube, com mais de 7.700.000 inscritos e alcançando a marca de mais de 2 bilhões de visualizações, trabalha muito o conteúdo gerado pelo usuário. 

O GoPro Awards é uma premiação para usuários da câmera, que podem enviar vídeos e competir em três categorias por prêmios em dinheiro. Além de ser uma forma de reter clientes e mantê-los engajados, também acaba transformando-os em embaixadores da marca. 

Os conteúdos ainda podem inspirar muitas pessoas que ainda estão na decisão de compra, vendo o que é possível fazer com o produto. Pelos números de seu canal, é possível perceber o tamanho do engajamento que esse conteúdo gera para a marca.

4. HubSpot

A HubSpot é uma empresa de SaaS (Software as a Service). Eles vendem softwares. São ferramentas para os times de Comunicação, Marketing e Vendas, como automação de marketing e CRM, por exemplo. Mas eles também são uma referência mundial em Inbound Marketing.

Inclusive o assunto foi mencionado pela primeira pelo cofundador, Brian Halligan. A empresa trabalha diariamente a criação de uma comunidade, seja com seus blogs (Vendas, Marketing e Serviços), os cursos gratuitos na HubSpot Academy, o evento anual Inbound, entre outros conteúdos divulgados nos perfis das mídias sociais e YouTube.

5. Etsy

A Etsy é um marketplace muito conhecido, principalmente, nos Estados Unidos. Existe uma infinidade de categorias de produtos, desde itens artesanais a peças de colecionador.

O blog da empresa é mais um de Marketing de Conteúdo. Poderia ser um grande desafio, afinal, vários tipos de produto são vendidos na plataforma. Mas, ainda assim, o conteúdo do blog conseguiu ficar claro e organizado. 

A linha editorial é bem definida, por categorias de produtos, com muitos blog posts educativos. Existem categorias de conteúdo mais de Atração (topo de funil) como DIY e Decorating Ideas; Conversão, com os posts sobre os produtores (Featured Shops); e conteúdo de Venda, como os Shopping Guides, que nada mais são que listas de produtos.

6. Marriott International 

Um dos cases de destaque de Marketing de Conteúdo no Turismo é o da Marriott International. Seguindo a linha da Red Bull e da Nestlé, a rede criou sua própria agência in-house, o Marriott Content Studio, lançado em 2014 para atender às 18 marcas da rede. Não só uma produtora de conteúdo, o estúdio produz filmes também.

Na ocasião do lançamento do filme “Two Bellmen Three”, o diretor Creative & Content Marketing para Ásia Pacífico da Marriott, Tony Chow, definiu bem como o Marketing de Conteúdo ajuda na marca.

“Não apenas essa franquia de filmes inovadora ajuda a levar interesse e reconhecimento da nossa marca, ela inspira e engaja consumidores com sua história criativa – enriquecida pelo apelo do destino local e a popularidade crescente da cultura coreana.” 

7. Starbucks

A marca de cafeterias é famosa não só por suas lojas, mas pelas fotos dos copos de cafés mais “instagramáveis” que existem. E não é por ser elaborado, mas pela relevância e tamanha autoridade da marca no mercado.

Muito desse sucesso veio de criar uma cultura com a marca, que gerou uma comunidade e, hoje, gera toneladas de conteúdo de fãs que engajam naturalmente nos perfis em mídias sociais. E ainda estimulam outras pessoas a irem ao local a cada foto postada.

A marca produz bastante conteúdo em mídias sociais e ainda estimula a criação do usuário. Além disso, investe em conteúdo diferenciado em seu canal no YouTube, além de dicas e How Tos, muitas séries focadas em pessoas e storytelling, o que ajuda com a aproximação do público.

8. Lego

A Lego tem a maior audiência de um canal de marcas no YouTube, segundo dados da Social Bakers, com 9.604.895.634 de visualizações totais. Além de quase 8 milhões de inscritos. Não esqueça que a marca tem mais do que os brinquedos de blocos, mas parques temáticos e produções para TV e cinema também.

A marca investe mais nos vídeos, com um canal principal e diversos outros temáticos, com entrevistas; How Tos, sobre como montar coisas com as peças Lego; e até um canal voltado para os pais, com ideias e inspirações. 

São conteúdos que a todo momento impactam o público-alvo, crianças, e o público decisor da compra, os pais, com uma forte presença no YouTube.

9. BMW

A prioridade do Marketing com o site é: velocidade. Em um artigo divulgado em 2019 no Think with Google, o diretor global de Marketing Digital, Jörg Poggenpohl, afirmou que melhorar a performance do site, para que “refletisse o que a BMW representa”, era o objetivo maior.

O site foi todo remodelado tendo como foco a velocidade. Especialmente a experiência de usuário no mobile, com tecnologias Progressive Web Apps (PWA) e Accelerated Mobile Pages (AMP). A marca também produz conteúdo de engajamento, como vídeos que contam histórias, mas têm como um dos principais “atores” um dos carros da marca.

10. Equinox

A marca fitness Equinox também trabalha com um tipo de blog, melhor definido como uma revista online, a Furthermore. Produzido por equipe completa de um site de notícias, os conteúdos também possuem uma série de consultores especializados, como médicos e doutores. 

Os assuntos das matérias, como a marca mesmo define, envolve a vida de alta-performance, com temas de viagens, alimentação, experiências, exercícios, entre outros assuntos relacionados. Por isso também uma equipe de consultores é tão importante para trazer relevância e, principalmente, credibilidade a esse tipo de conteúdo.

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *