Vídeo Marketing: vale a pena investir nessa estratégia?

Categorias Conteúdo, Inbound Marketing, Marketing de Conteúdo, Marketing Digital

O vídeo já está dominando a internet. O YouTube é um dos maiores sites do mundo, os celulares estão voltando a ficar maiores para os usuários terem mais espaço de tela e grande parte do tráfego de toda a rede é desse tipo de conteúdo. Por isso, o vídeo marketing é uma oportunidade óbvia que as empresas podem, e devem, aproveitar. Mas, será que ele realmente vale a pena? É isso que responderemos neste post. 

Continue lendo até o fim e entenda a importância do video marketing, como fazer um bom vídeo e otimizar a estratégia, e alguns dos tipos de vídeos mais comuns.

E se gostar do post, lembre-se de assinar a newsletter da M2BR Academy para não perder nenhuma novidade. 

Por que vale a pena investir em vídeo marketing?

Existem diversas vantagens que são intrínsecas aos vídeos, como formato de conteúdo. Eles são engajadores por possuírem um enorme apelo visual, além do áudio. Além disso, é um conteúdo fácil de consumir. Complementando as vantagens do formato em si, ainda existem benefícios estratégicos que veremos a seguir.

Alinhado ao comportamento do público

Já mencionamos diversas vezes aqui no blog que uma boa estratégia de marketing segue o comportamento da audiência. Nesse caso, os vídeos são valiosos pois o público tende a procurar reviews, tutoriais e outros formatos de vídeo que ajudam a entender como funciona o produto.

Contribui para o rankeamento no Google e engajamento nas redes

Vídeos podem ser uma ótima ferramenta para ajudar seu site no SEO. Primeiramente, o YouTube é o segundo maior buscador do mundo. Além disso, colocar vídeos próprios nas publicações do blog melhora a experiência do usuário, além de aumentar o seu tempo de permanência na página, dois pontos que o Google observa com muito cuidado. Por fim, o próprio Google traz resultados de vídeos nas pesquisas.

Assim, a mesma ideia se aplica às redes sociais. Vídeos são conteúdos mais “engajáveis”, seja por compartilhamentos, curtidas ou pelo tempo gasto na página. Por isso, é um dos formatos mais fáceis de “viralizar”. 

Na verdade, qualquer conteúdo é otimizado com vídeos. Outro exemplo são as landing pages, que convertem melhor quando contém vídeos, já que é mais uma forma para o usuário consumir o conteúdo. 

Aumenta vendas e conversões

Os vídeos também impactam o ponto mais importante, que são as vendas e conversões. Portanto, combinando a facilidade de absorção de conteúdo com os mais diferentes formatos, é mais fácil comprar um produto ou ideia a partir de um vídeo. Ou seja, ele é capaz de combinar o recurso visual com o áudio para quebrar conteúdos complexos em algo mais simples. 

Não é tão caro e tão difícil

Antigamente, produzir vídeos não era fácil. Basicamente, a única opção das empresas era produzir comerciais para a TV, o que demandava bastante custo de produção, sem falar no preço para veicular as propagandas. Hoje em dia, a história é bem diferente. É claro que é ótimo ter uma câmera super potente, um estúdio e muito mais. 

Por outro lado, os celulares hoje em dia têm ótimas câmeras e com boas dicas de produção, você consegue fazer conteúdo muito simples em casa e publicá-lo no canal da empresa no YouTube, no blog ou nas redes sociais

Quais são os tipos de vídeos mais comuns? 

Agora que você já entendeu o valor dessa estratégia, vamos falar um pouco mais sobre os tipos de vídeos. Existem diversas opções, variando de acordo com o objetivo: 

Institucional: seu objetivo é passar para o usuário, ou cliente, os valores da marca e não destacar um produto ou serviço;

Comercial: esse sim tem o objetivo de destacar um produto ou serviço, lembrando mais uma propaganda tradicional;

Educativo: um dos formatos mais comuns na internet, em que as marcas ensinam algo ao usuário, relacionado ao seu produto ou serviço. É uma vertente do marketing de conteúdo;

Cases: Um conteúdo mais fundo de funil, os cases de sucesso ajudam a conseguir a prova social de que seu produto é capaz de resolver os problemas dos usuários;

FAQs: As perguntas frequentes também podem ser respondidas em vídeo, criando um material que complementa o texto;

Demonstração: Ótimo formato para e-commerces e landing pages. Certos produtos, ou serviços, podem receber ótimos benefícios de vídeos demonstrativos, que ilustram os benefícios do produto

Tutoriais: Diferente do anterior, o tutorial é mais útil após a venda. A ideia é mostrar para o usuário como usar determinado produto da melhor forma possível;

Vlog: Preferido dos influenciadores digitais, o vlog é um registro do dia a dia de uma pessoa, ajudando muito na conexão com a audiência;

Lives: Modelo que explodiu por conta da pandemia, as lives tem ótimas vantagens em relação ao engajamento do público;

Entrevistas: Outro tipo de vídeo que faz muito sucesso, as entrevistas ajudam a “pegar emprestado” a autoridade de um especialista no assunto, gerando um conteúdo extremamente valioso;

Eventos: A cobertura de eventos é um ótimo conteúdo para certas empresas, mostrando as atrações e participantes. Durante a pandemia, os eventos na íntegra são transmitidos em vídeo;Bastidores: Outro tipo de vídeo de muito sucesso, os bastidores aproximam o público da marca e permitem um diálogo um pouco mais irreverente. Ótimos para as redes sociais;

Como otimizar a produção de vídeos? 

Para colocar esses e outros modelos de vídeo em prática, confira algumas dicas de como produzir vídeos e otimizar sua estratégia sem precisar gastar muito dinheiro: 

  • Tenha uma boa iluminação: O ideal nesse caso é contar com uma boa equipe e bons equipamentos, mas você pode escolher o melhor horário para filmar aproveitando a luz natural;
  • Otimize o uso da câmera: Novamente, o ideal é ter equipamentos profissionais, mas os melhores celulares têm câmeras que são mais que o suficiente. Em qualquer caso, vale a pena investir em um tripé para deixar a filmagem estável e conhecer as funcionalidades da câmera;
  • Cuidado com o microfone: o áudio é extremamente importante, pois se o usuário não conseguir ouvir ou tiver um chiado ele vai embora. Portanto, vale a pena investir em um bom microfone, antes mesmo da câmera, considerando que você provavelmente já tem um celular;
  • Não dependa 100% do áudio: Pode parecer contraditório, mas você também deve trazer alternativas para o áudio, como as legendas. Especialmente no mobile, o usuário pode não conseguir ouvir o conteúdo;
  • Pense em mobile first: Falando em mobile, vale a pena sempre pensar nesse formato como prioridade. Afinal, praticamente tudo que o mobile faz o desktop consegue fazer, quando o inverso não é verdade; 
  • Foque nas principais métricas: Acompanhar métricas como conversões, abandono, engajamento, SEO, retenção e outras, é essencial para ter uma estratégia de sucesso. 

O vídeo marketing pode ser bem interessante. Porém, segue uma tendência do marketing moderno de que muitas marcas estão produzindo conteúdo. Logo, é preciso ter algo diferenciado para se destacar da competição

Gostou do post? Então assine a newsletter da M2BR Academy para receber mais dicas sobre vídeo marketing! 

A M2BR Academy acredita na evolução do ensino pela realização prática do conhecimento teórico, por isso temos uma metodologia própria desenvolvida sobre PBL (Problem Based Learning), adotado pelas melhores escolas e cursos. Somos entusiastas e realizadores, assim como nossos parceiros e compartilhamos o saber para a formação de um mercado profissional, dinâmico, criativo e inovador dentro do segmento de marketing e mídia digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *