O Tubby vem aí e o bicho vai pegar. Ou nem vai…

Se você achou que as discussões em torno do Lulu, o app mais comentado e usado do momento estavam prestes a esfriar, se enganou. Depois de toda a polêmica gerada e indignação por parte da comunidade masculina, que tacha o app de sexista, o “troco” está prestes a ser dado: essa semana estará disponível para download o Tubby, um app que promete ser para os homens tudo que o Lulu é para as mulheres, só que de uma forma muito mais “objetiva” (para não dizer ofensiva).

A proposta do Tubby é muito clara: “Sua vez de descobrir se ela é boa de cama”, diz o slogan. Direto assim, sem mimimi, o que assustou muita gente (mulheres principalmente). Além disso, hashtags como #SemMedoDeSerFofo, #Cascão e #AcreditaNoAmor, utilizadas no Lulu, deram lugar a outras muito mais ousadas e constrangedoras como #curtetapas e #engoletudo.

Há quem esteja pensando que tudo não passa de um hoax criado para criticar o Lulu e que o serviço não é verídico. O fato é que há uma contagem regressiva no site oficial do app, onde indica que ele estará disponível para download no dia 04/12 para iOS e Android. E nessa mesma página já existe uma opção para as mulheres retirarem seu perfil do app, antes mesmo do lançamento, impedindo que elas sejam avaliadas na ferramenta. E é exatamente o que tem acontecido.

Tubby

Para sair do serviço e não ter um perfil criado no Tubby, as mulheres precisam entrar no site e fornecer suas informações do Facebook. O funcionamento é semelhante ao do Lulu, que também pede as informações da rede social de homens que não querem ser avaliados na plataforma. E agora, no mesmo dia em que essa opção de descadastro ficou disponível, chama a atenção o número de mulheres que estão não somente solicitando a remoção de seus perfis na plataforma, mas também das que estão divulgando nas redes sociais que saíram, incentivando outras que ainda não sabiam dessa possibilidade ou até mesmo não sabiam da existência do mesmo.

Com isso, fica a dúvida se a ferramenta repetirá de fato o sucesso do Lulu ou se a forma ofensiva com que se comunica e propõe a sua dinâmica continuarão a afastar o público feminino, inutilizando o app, já que não haverá a quem atribuir as notas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *